dicas-de-viagem

7 dicas de viagem para aproveitar melhor suas férias

Que viajar é uma experiência incrível, todos sabemos. Seja em Paris, Nova York, na Tailândia ou em Machu Picchu, há um mundo de descobertas, delícias e aventuras em cada destino.

Mas todos sabemos também que viajar traz um pouco de insegurança e aquele friozinho na barriga – será que a gente vai conseguir se virar em um lugar tão diferente, que fala outra língua e tem outra cultura? #comolidar?

Foi pensando nisso que, em homenagem ao Dia Nacional do Turismo (2 de Março), montamos uma listinha com 7 dicas de viagem práticas para você aproveitar melhor suas férias e evitar os perrengues com muito samba no pé! Vamos lá?

1. DEDIQUE UM TEMPO PARA PLANEJAR SEU ROTEIRO COM CARINHO

O primeiro passo para aproveitar bem a sua viagem é a dedicação. Não basta comprar uma passagem aérea, reservar um hotel e ir – claro que dá para fazer assim, mas com certeza você não aproveitará sua viagem da melhor forma. É importante se dedicar para conhecer o mapa da cidade, as melhores rotas, como se locomover, checar quais são as atrações “obrigatórias” e como visitá-las (nem sempre basta chegar, você sabia? Às vezes é preciso até reservar horário com meses de antecedência), o que é seguro e o que não é, além de, claro, descobrir segredinhos da cidade que têm a ver com você, coisas fora do roteiro padrão que você adoraria conhecer, eventos e shows bacanas que estarão rolando etc. Tudo isso leva tempo e organização, para que você consiga encaixar tudo no seu roteiro de viagem.

#dicaplot não esqueça de otimizar seu tempo no local planejando as atividades de cada dia por proximidade geográfica, assim você economiza nos trajetos e ainda consegue conhecer melhor a cidade, pois muitas vezes consegue fazer tudo à pé naquela região.

2. APRENDA PALAVRAS BÁSICAS NA LÍNGUA LOCAL

Coisas como “oi”, “licença” e “obrigada” costumam ser simples em todas as línguas, e quebram um galho quando estamos precisando de ajuda e simpatia, pois elas demonstram algum esforço da sua parte.

Se você conseguir falar “oi, licença, você fala inglês?” (ou algo do tipo), vai ganhar estrelinha de turista do ano! Isso porque ninguém que está andando pelas ruas de seu próprio país gosta de ser abordado por alguém que fala outra língua. Tipo, não sou obrigado. Por outro lado, todos gostam de saber que o turista está interessado em aprender um pouquinho mais e respeita o fato de que talvez você não fale inglês, mesmo.

Desse jeito, você ganha simpatia e empatia de quem está por perto – o que ajuda muito na hora do aperto!

#dicaplot para descobrir as palavras/frases básicas, basta escrever no Google “frases básicas em ______ (língua)” ou “______ (língua) para viagem”

3. COM PELO MENOS 2 MESES DE ANTECEDÊNCIA, GARANTA O SEU VISTO

Se a gente der bobeira, é muito fácil chegar nas vésperas da viagem para só então descobrir que precisava tirar visto! E não tem pesadelo pior do que esse. Por isso, assim que começar a planejar sua viagem, o primeiro passo é saber quais são os requisitos para entrar no país. Os processos de visto são diferentes de país para país – alguns podem ser solicitados online, outros são emitidos no desembarque no país e há ainda os casos em que é preciso enviar o passaporte até o consulado (que muitas vezes fica em outra cidade) para que o consulado faça o procedimento. Às vezes não precisa emitir um visto, mas precisa ter passaporte com validade de pelo menos 6 meses e algumas folhas em branco, além do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. Ou seja, nem sempre é simples e taí algo que pode estragar a sua viagem já no começo!

4. BAIXE MAPAS OFFLINE DO SEU DESTINO

O Google Maps tem uma funcionalidade que é ótima para quem vai viajar e ficar sem acesso à internet: a possibilidade de salvar o mapa para visualização offline. Para isso, basta digitar no campo de busca do Google Maps o destino (por exemplo, Berlim) e, quando carregar, escrever no mesmo campo de busca a frase “ok maps”. Sério. Daí a área vai ficar carregada e você poderá visualizar o mapa mesmo estando offline e, graças ao GPS, terá sua posição também marcada (você sabia que o GPS não precisa de rede de dados para funcionar?).

#dicaplot antes de salvar a região usando o “ok maps”, abra o Google Maps e vá salvando todos os endereços de interesse: seu hotel, os museus, restaurantes bacanas etc. Para fazer isso, basta posicionar o dedo no local desejado até que o marcador vermelho apareça e, aí, clique na barra branca embaixo para aparecer uma estrelinha “salvar”. Done! Assim, quando você baixar o mapa para uso offline, ele virá com as estrelinhas todas marcadas, sinalizando os lugares de seu interesse.

5. CONTRATE UM PLANO DE DADOS PARA O CELULAR – E NUNCA SAIA DO PAÍS SEM LIBERAR O ROAMING INTERNACIONAL

Comunicação é tudo nessa vida – seja para pegar uma informação que está na internet, seja para pedir uma ajuda. Por isso, sugerimos sempre contratar um plano de dados para o celular no destino para que você tenha liberdade para acessar a internet de onde estiver. Normalmente o processo é superfácil e rápido, além de acessível.

Outra sugestão é sempre, mesmo que você não pretenda usar, ativar o roaming internacional no seu celular aqui do Brasil, pois ele pode literalmente salvar vidas em casos de emergência. Se fizer isso e não quiser gastar dinheiro sem perceber, basta andar com celular em modo avião.

6. TENHA TODAS AS INFORMAÇÕES DE RESERVAS/CONTRATAÇÕES EM FÁCIL ACESSO

De preferência, impressas, para que possam ser apresentadas no controle de imigração se solicitadas. Nem todos sabem, mas é proibido usar celulares e qualquer outro eletrônico na imigração, por isso ter tudo no celular só vai ajudar se o oficial do guichê for bacana e deixar você acessar o smartphone. Sendo assim, o mais seguro é ter as reservas de hospedagem e aéreas todas impressas, por mais old school que isso possa parecer.

Outras reservas que você deve ter com acesso fácil são as contratações de traslado e passeios feitos com antecedência, além do seguro de viagem, que falaremos mais detalhadamente na próxima dica. Além de ter tudo isso em fácil acesso, saiba como contatar (por telefone, de preferência) cada uma das empresas caso algo dê errado.

7. CONTRATE UM SEGURO DE VIAGEM – E SAIBA COMO ACESSA-LO

Muitas vezes negligenciamos essa que é uma das partes mais importantes da viagem: o seguro. Podemos passar uma vida inteira contratando seguro de viagem sem usá-lo de fato mas, no dia em que ele for necessário, vai fazer toda a diferença. Além de cobrir gastos com hospitais e medicamentos, o (bom) seguro oferece assistência para escolher o melhor hospital, oferece transporte, repatriação em casos necessários, além de oferecer seguro para malas perdidas e otras cositas más. Por isso, é preciso também saber escolher o seguro – nem sempre adianta pegar a opção mais barata apenas para dizer que tem.

Para escolher seu seguro, você precisa ter em mente que tipo de viagem fará, além das suas próprias condições de saúde. Em geral, para quem vai viajar para Nova York e tem uma saúde 100%, dá para ficar até com o seguro do cartão de crédito. Mas, normalmente, ele não cobre doenças crônicas ou preexistentes, por exemplo. Já para quem vai fazer turismo de aventura, a cobertura precisa ser maior e, para alguns esportes, o seguro é específico. Por isso vale conversar com quem entende do assunto e explicar exatamente as suas necessidades na hora de fazer uma cotação, para não contratar um seguro que, no aperto, não vai ajudar em nada.

* DICA BÔNUS

Fique atento aos feriados no seu destino – evita-los garante viagens mais baratas, mas participar de uma festividade importante é uma experiência única. E aí, qual vai ser a sua escolha? Para descobrir basta buscar “______ (país) holidays” no Google, e voilà!

Precisa de ajuda para planejar sua viagem? Fale com a gente e conheça nossos serviços ;)

Manu Pontual
Aquariana de corpo e alma, Manu é apaixonada por viagens. Fundou a Plot junto com o Rapha, e agora vive viajando - seja de verdade, fazendo roteiros para os nossos clientes, ou sonhando com os próximos destinos.

Share This

Copy Link to Clipboard

Copy