A primeira vez a gente nunca esquece!

0

Mas a gente vai lembrar para sempre…

Contarei hoje sobre a minha experiência em uma piscina térmica da Alemanha. Muito conhecidas por alguns, e totalmente uma novidade para outros, as piscinas térmicas fazem parte da rotina de muitos alemães, frequentadores assíduos desse local. Na última quinta-feira, entrei pela primeira vez em uma. Trabalho ocasionalmente como baby-sitter e comecei um novo job há algumas semanas. Acompanho uma mãe com seus dois filhos a uma piscina térmica, onde a filha de 3 anos, com a mãe, faz aulas de natação, enquanto eu cuido do bebê do lado de fora. Ocasionalmente, entro na água para acompanhar a filha, caso o bebê queira um pouco mais de amor materno.

Mas falemos da minha primeira vez. As piscinas térmicas são uma atração. Nestes locais encontram-se salas próprias para a prática da sauna e sua fama atribui-se a prática da nudez: as pessoas podem nadar sem roupa, assim como frequentar as salas de sauna também peladas. Para alguns estrangeiros isso parece uma quebra de tabu, mas em muitos países da Europa, a nudez é rotina. É tão natural quanto estar vestido.

Na minha primeira experiência, então, não poderia faltar homens e mulheres zanzando pelos corredores e duchas, assim como nadando nus. Já tinha escutado algumas histórias, mas a gente só sabe como as coisas são quando vivemos, certo? Acho incrível como as pessoas aqui se respeitam e se sentem à vontade, tanto com o próprio corpo, quanto com a nudez perante estranhos. Esse sentimento de não julgamento pelas aparências é uma das coisas que mais aprecio morando aqui. Não importa o que estou vestindo, ou não, se sou gorda, magra, feia, linda, alta, baixa, sou tratada do mesmo jeito que qualquer outra pessoa.

Minha primeira experiência na piscina térmica só relembrou em mim um sentimento que a gente sempre busca: a autoconfiança em ser o que se é, em se amar completamente, inclusive os defeitos. A prática da nudez reforça essa autoconfiança e a cada dia tenho venho me sentindo confortável em relação a isso. Não estou dizendo que as pessoas devem praticar a nudez para mostrar que são autoconfiantes. Claro que não! Eu mesma acho que não faria isso. Apesar de já ter feito topless em uma praia da Espanha – mas essa história fica para outra sessão desse site!. Por fim, não tive vergonha de vestir meu biquíni brasileiro (que por aqui é BEM diferente) e expor meu corpinho rechonchudo nos corredores!

As nossas experiências de vida, sempre trazem/reforçam lições incríveis. E você, já frequentou uma piscina térmica aqui na Alemanha? Me conta…!

 

//Quer escrever para a Plot?
Escreva pra gente no contato@mundoplot.com.br contanto a sua história ou dica, que entramos em contato para combinar os próximos passos! :)

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Bárbara Bayer

Relações públicas, viajante de carteirinha e locatária de uma kitnet na Alemanha. Joga amadoramente handball e, quando ninguém está olhando, faz dancinhas bizarras, seja para comemorar, para espantar o frio ou só porque lembrou de uma música que adora. Escreve a coluna Alltag, sobre sua vida em Karlsruhe, na Alemanha.