Áustria – uma viagem surpreendente

0

Saímos do Brasil com a intenção de passar o aniversário do meu marido com nosso filho em Viena. Isto definido, por que não conhecer com mais calma a Áustria, fugindo da programação básica da capital Viena? Chegamos lá com esse espírito e, daí para frente, só tivemos surpresas agradáveis.

A Áustria é um país com uma excelente infra-estrutura para turismo, com muitas opções de hospedagens, entre hotéis e bons B&B, bons restaurantes,  excelentes estradas e paisagens deslumbrantes.  Mais uma vez, nossa opção foi viajar de carro.

Começando por Viena, saímos do tradicional já de cara, ao passarmos o domingo subindo o monte Kahlenberg  passeando entre grandes plantações de uva, comendo uvas deliciosas direto do pé, chegando ao topo do Kahlenberg para admirar uma lindíssima vista de Viena e tomar um delicioso cálice de vinho branco. Na descida, paramos em uma heuriger (vinícola), e entre os pés de uva, tomamos um bom vinho fresco, conhecido por Sturm, com queijos e frios. O dia estava ensolarado com uma temperatura amena. Um passeio muito gostoso, onde pudemos aproveitar uma Viena diferente e surpreendente.

No dia seguinte fomos para uma cidade a cerca de 90 km de Viena, na região da Lower Austria, onde a cultura do vinho branco e do vinho fresco é fortíssima. Nos hospedamos em uma excelente pousada próximo a Krems – Krappel Familie – com um gostinho de casa de campo e um conforto e serviço de cidade grande. De Krems fizemos um passeio de barco pelo Danúbio até Durnstein. A cidade de Durnstein é bem pequena e linda, e nela encontramos a ruína do Castelo de Durnstein, onde ficou aprisionado o rei Ricardo Coração de Leão. Esta ruína fica no alto de uma colina. Confesso que subir até a ruína do castelo exige um pouco de esforço físico, mas a vista da região ao chegar no alto da colina é de tirar o fôlego e vale todo o esforço. Lembro que somos do time dos 50+.

A cidade de Durnstein tem vários restaurantes. Aproveitamos para almoçar em um típico restaurante austríaco, de comida caseira e deliciosa.

Depois de dias maravilhosos em Viena e redondezas, partimos para dar uma volta pela Áustria, passando por cidades e paisagens deslumbrantes.

A Áustria nos surpreendeu em vários aspectos: conseguimos fazer uma viagem tranquila, explorando os pontos turísticos mais badalados, assim como descobrindo “novos” pontos turísticos (assim definido por nós mesmos). O fato é que tudo funciona muito bem neste país.

Passamos por uma experiência inusitada e interessante, quando fomos fazer a travessia dos Alpes Austriacos. Tínhamos algumas opções para cruzar os Alpes:

1- utilizando uma auto Estrada pedagiada, que dá uma volta um pouco maior, visto que é construída sempre que possível nos vales;

2- utilizando a Grossclockner, conhecida como uma das estradas mais bonitas do mundo e que se localiza na parte alta dos alpes;

3- e finalmente indo por uma Estrada não pedagiada.

Nossa opção inicial foi a Estrada pedagiada, uma vez que a Grossclockner estava sob nevasca e tínhamos medo de que estivesse fechada. Ao tentarmos acessar o caminho escolhido, encontramos um trafego parado, como se algo tivesse acontecido. AAHHH!! Então vamos pela não pedagiada.

Colocamos o endereço no GPS do carro, obtivemos a informação de que em 2 horas estaríamos no nosso destino (nesse momento, enquanto o GPS estimava 2 horas de viagem, o waze estimava 6 horas para o mesmo destino – como assim ??). Decidimos apostar no GPS e seguimos viagem. Eis que, do nada, a estrada acaba. E agora??? Olhávamos para o GPS, para a região à nossa volta e não tinha Estrada. Observamos então, dois carros parados em fila, como se estivessem esperando algo.  Descemos do carro e perguntamos como fazer para chegar ao nosso destino. Nos informaram, fique nesta fila que você chegará lá. Quando menos esperamos chega um trem, com apenas um vagão fechado e uma estrutura para embarque dos carros. Por 17 euros, embarcamos eu, meu marido e o carro, e em torno de 15 minutos estávamos do outro lado da montanha.

Ao descer do trem e pegar o carro, encontramos paisagens ainda mais bonitas e uma estrada deslumbrante. Viram como tudo funciona neste país!! A nossa sensação de estar viajando em um local que sempre estaremos seguros e tudo dá certo, foi maravilhosa.

Muitas são as cidades com lindo visual e muita qualidade de vida. Mas, uma delas nos encantou especialmente – Halstaat. Esta fica para o próximo texto.

Concluindo, vale muito fazer uma viagem pela Áustria, e melhor ainda se ela for feita com tranquilidade e no ritmo de uma boa valsa; hora mais rápida, hora mais lenta, mas sempre muito bonita e prazerosa.

 

kahlenberg-viena

Kahlenberg  – uvas e vista de Viena

heuriger-vinicola-viena

Heuriger- entre pés de vinho, um pequeno refúgio de frios e vinhos com administração familiar

 

durnstein-danubio-austria

 

O Danúbio, a cidade de Durnstein e no alto, a ruína do castelo

 

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Angela Lima

Brasileira, casada, filhos criados, profissionalmente realizada, e com um sonho a realizar: viver um momento novo na vida, viajando e vivenciando o mundo, com longas temporadas, quase moradora de cada local visitado.