Viva o México, viva la vida!

0

O México, tirando Cancun e redondezas, parece um destino pouco provável  para se visitar nas férias, mas uma amiga expatriada morando lá me fez querer conhecer sua casa e tudo o que o país podia oferecer – posso resumir de uma forma simples: sai de lá mega surpreendida. Fui para várias cidades bem diferentes, com uma mistura de história, cultura e belezas naturais, além da gastronomia muito rica.

PARTE UM: MERGULHO NA HISTÓRIA E NA CULTURA

Nos quatro primeiros dias, exploramos a Cidade do México. Uma cidade muito bonita, arborizada, com grandes avenidas e muita gente pelas ruas. Os mexicanos realmente sabem viver a cidade principalmente os museus, que formam filas enormes aos domingos. Para entender a história do país vale uma visita ao Museu de Antropologia e ao Castelo Chapultepec. Para comprar lembrancinhas recomendo o Mercado de Artesanias de la Ciudadela. Já para viver o lado mais bizarro da cultura local fomos assistir à famosa Luta Livre, um programa divertido e despretensioso.  A casa onde viveu Frida Kahlo é um passeio imperdível, ótimo para conhecer melhor sua arte, sua história e sentir a energia do lugar. Como fica numa região um pouco mais afastada, resolvemos emendar para Xochimilco, conhecida como a Veneza Mexicana, mas se arrependimento matasse…pegamos um trânsito bizarro na ida e na volta que não compensou. As pirâmides de Teotihuacan, nos arredores, também são muito interessantes, um lugar lindo e cheio de mistérios.

Casa de Frida

Casa de Frida

Depois de conhecer a capital, fomos passar dois dias em San Miguel de Allende, uma cidade fofa, com ótimos restaurantes e muita história pelas ruas. Ficamos hospedados em um palacete da década de 1800, muito típico e aconchegante que alugamos pelo Airbnb.  Contratamos um guia local para nos contar mais sobre a cidade e valeu muito a pena. Para fechar, a noite, fomos ao Luna Rooftop Tapas Bar, no hotel Rosewood, e vimos o entardecer lá de cima, simplesmente de cair o queixo.

PARTE DOIS: CHEGAMOS AO PARAÍSO

Na sequência, pegamos um voo para Mérida, onde começou a segunda etapa da nossa viagem. Passamos uma noite na cidade e demos um voltinha no dia seguinte pela manhã, mas estávamos lá por outro motivo: no dia seguinte nos hospedamos na Hacienda San Jose, um hotel encantador, com um serviço impecável. Os quartos eram enormes e confortáveis, a piscina então era de cinema, um lugar para relaxar e passar bons momentos com os amigos. No final da tarde fomos almoçar em uma cidadezinha próxima, chamada Uxmal, um tanto peculiar, onde todas as casa são amarelas, sem exceção, porque em algum momento do passado o prefeito achou que a cidade estava feia e resolveu homenagear um deus.

Saindo desse pequeno paraíso, nosso destino final era a famosa Riviera Maia, mas antes paramos em Chichén Itzá, uma cidade arqueológica maia surreal – não dá pra entender como aquelas construções foram feitas e como cada detalhe tem um porquê para ter sido feito daquela forma. Nessa noite, a parada final foi Playa del Carmem, nossa base nos 4 dias que estavam por vir, em um apartamento para 7 amigos, também alugado pelo Airbnb.

Na primeira manhã por ali, fomos para Cozumel mergulhar, minha primeira experiência com cilindro. Confesso que logo após o cursinho de 15 minutos que fizemos eu estava bem apreensiva, mas quando cai naquele marzão azul cristalino não resisti e me deixei levar por toda aquela beleza – foi uma experiência incrível.

mergulho-cozumel-iii

No segundo dia na Riviera Maia, mergulhamos em um cenote (uma espécie de gruta recheada de estalactites e morcegos), uma experiência que não consegui classificar muito bem, pois ao mesmo tempo em que dá medo entrar nadando em um lugar escuro, cheio de morcegos, não dá para negar que ele esconde uma beleza única. Na sequência, seguimos para as ruínas de Tulum, um lugar belíssimo, em frente ao mar do caribe que chamávamos de resort Maia e, por fim, fechamos o dia com um banho de mar para lavar a alma.

Tulum

Tulum

Ficamos na dúvida sobre o que fazer no dia seguinte (o terceiro), mas estávamos tão encantados com Tulum – minha praia preferida da viagem – que voltamos para lá e passamos o dia de bobeira, relaxando na barraca Papaya Playa Project, que era tudo o que precisávamos àquela altura do campeonato.

Para o nosso último dia de Riviera, escolhemos ficar em Playa del Carmem. Confesso que estava morrendo de ressaca e mal sai do quarto,  mas a praia por ali também é muito bonita. Felizmente, consegui me recuperar a tempo para um dos pontos altos da viagem: o espetáculo La Joya, do Cirque du Soleil. Foi uma experiência indescritível, pois pegamos o pacote com jantar incluso e fomos fortemente surpreendidos a cada prato que chegava a mesa – t-u-d-o muito bom!!!

PARA FECHAR COM CHAVE DE OURO

De volta à Cidade do México, tínhamos mais um dia antes de embarcar, então fomos almoçar no San Angel Inn, um restaurante mega tradicional, em que me senti em um filme. Ele fica ao lado do Estudio Diego Rivera, onde consegui dar uma passadinha, mas bem rápida, já que a noite era a festa de despedida de nossa amiga expatriada, que estava de partida para Miami, e também a nossa.

Foram 17 dias tão intensos e bem aproveitados que pareceram dois meses. Super-recomendo =)San Miguel de Allende

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Plot

Consultoria de planejamento de viagens - para saber mais sobre nossos serviços, clique aqui. Navegue pelo nosso site para acompanhar nossa Expedição pelo sudeste asiático, se inspirar com histórias e dicas de viagem e acompanhar as colunas de nossos correspondentes mundo afora.