Rotina: Supermercado, sem grandes filas!

0

Uma das coisas que mais faço na minha rotina semanal é supermercado. Tenho alguns motivos para isso:

  • Faço as compras de bicicleta, então não tenho como carregar muitas coisas de uma vez só.
  • Ainda em relação à bicicleta, o supermercado não fica tão perto de casa, então, quanto mais pesado, mais longo se torna o caminho (mas você não imagina o tanto que já transportei!)
  • Muitas das frutas e verduras são importadas, ou seja, contando do dia que compro, elas já estão quase ou maduras.
  • Outro aspecto é o clima, como em casa durante o inverno tem calefação (aquecimento) as frutas e legumes madurecem mais rápido – quase igual a sua experiência no verão aí do Brasil!
  • Minha geladeira é um frigobar. Ou seja, tenho male, male um congelador (no freezer, então, sem congelados), e um espaço limitado para conservar os alimentos.
  • Minha cozinha é bem pequena, não tendo muito espaço para armazenar os alimentos.

Devido a tudo isso, minhas idas aos supermercados são semanais, e às vezes até duas vezes na mesma semana. Excepcionalmente, pode acontecer no mesmo dia, quando compro alguma coisa e deixo no balcão. Mas isso raramente acontece, quem me conhece sabe!

Aproveito ainda para contar como funcionam os mercados aqui. Pegar sua cestinha e escolher os produtos são atividades que acontecem da mesma forma. A organização das prateleiras e ordem em que os produtos estão locados é muito semelhante ao que vemos no Brasil. No entanto, a grande diferença está no caixa. Como muitos de vocês sabem, em muitos países europeus não há sacolinha plástica no final para empacotar os produtos. Então ou você traz de casa, ou paga. Nada novo ainda, né? A grande diferença, a qual tive que me adaptar, é a velocidade dos caixas. Sim, aqui o negócio é acelerado e, se você demora, as pessoas te encaram. Mas nem é por isso, porque na verdade, a pessoa do caixa, não te espera embalar seus produtos, ela já começa a passar a compra do próximo, e você que se mande dali! Então, aqui é muito comum que as pessoas, recoloquem suas compras no carrinho, e embalem em outra área, reservada só para isso. Assim, o tempo de espera no caixa é bem curto. Eu acho incrível, porque o que mais detesto em fazer supermercado é o tempo que gasto esperando para que todas as compras sejam registradas e embaladas… além disso, é muito comum, então, que as pessoas levem as compras em caixas para casa, que elas mantêm no carro. Ótimo né? E super sustentável. Na minha experiência, corro para colocar tudo na cestinha da minha bike, que é também a minha cestinha de compras, me ajudando assim a comprar só o que dá para levar…

Ah! Uma curiosidade: tem uma rede de supermercados aqui, que paga aos operadores de caixa um bônus/comissão, por quantidade de cliente durante o seu turno. Ou seja, quanto mais clientes passar, melhor será para ele. Outra ideia que pode acelerar o processo nos mercados, aumentando a eficiência, a satisfação do cliente e do trabalhador, além de ajudar na imagem/reputação do supermercado, que será escolhido mais vezes, não só pela qualidade de seus produtos, mas também pela agilidade de entrega do serviço. Ok, acho que aqui já migrei o assunto. Minha cabeça não para de ver oportunidades que podem ser integradas em nosso país e que, aos poucos, contribuem com a vida de todos. Enfim, é isso ai… mais uma atividade da minha rotina aqui na Alemanha, e algumas curiosidades para vocês! Até mais….

PS: se você ver uma pessoa cantando sozinha na bike carregando um pacote de 12 rolos de papel higiênico, já sabe, sou eu! :)

 

//Quer escrever para a Plot?
Escreva pra gente no contato@mundoplot.com.br contanto a sua história ou dica, que entramos em contato para combinar os próximos passos! :)

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Bárbara Bayer

Relações públicas, viajante de carteirinha e locatária de uma kitnet na Alemanha. Joga amadoramente handball e, quando ninguém está olhando, faz dancinhas bizarras, seja para comemorar, para espantar o frio ou só porque lembrou de uma música que adora. Escreve a coluna Alltag, sobre sua vida em Karlsruhe, na Alemanha.