Sabe o frio? Pois é, congelei!

0

Todo mundo sempre fala que frio é relativo, e que com o passar do tempo a gente se acostuma. Existe uma certa verdade nesse pensamento, mas para quem desembarca depois de 21 dias pós pedido de demissão, o relativo perdeu sentido. Duas calças, duas blusas, um casacão e mesmo assim, ligava o aquecedor no máximo. Minhas camisolas ganharam espaço nas gavetas e foram afundadas pelos pijamas calça-blusa-de-manga cumprida que comprei nas primeiras semanas. O meu lindo All Star branco aguentou o quanto pode, mas logo eu me tornei adepta a botas de cano alto (confesso que até hoje não sou muito fã delas – não combinam nada comigo, mas frio é frio e modismo é secundário). E assim passei o meu primeiro inverno, usando minhas roupas estilo-brasil uma em cima da outra, afinal vida de estudante não tem renda muito alta. Além de roupas, o inverno contribui para banquetes de comidas quentes e chocolate. Ai que maravilha ter acesso a potes GIGANTESCOS de Nutella!! O único problema, então, se tornou colocar leggin embaixo do jeans!

O segundo inverno, por sorte ou devido ao aquecimento global, não foi nada frio. Acho que a relatividade aqui finalmente instaurou-se. Duas calças para que? Jaqueta era o suficiente. E aquele lindo casaco que você comprou na promoção de estação passada, fica pendurado no mancebo esperando o pelo dia que dará uma voltinha. E não é que deu! Mesmo sem neve, e temperaturas sempre positivas, vesti meu novo casaco. E demos voltas bem interessantes, visitamos cidades/países mais frios, como Berlim, Bruxelas e Luxemburgo.

No entanto, este inverno está sendo longo… ainda em Março continuamos com alguns dias bem cinzentos, com temperaturas próximas a zero durante o dia (o que gera temperaturas negativas à noite), chuva fina e constante e ventos. Ai sim… sabe o frio? Pois é, congelei. A tática agora, entretanto, é beber muito chá. Quentinho e sinônimo de muito líquido (o que ajuda ao vestir duas calças e contribui para a hidratação do corpo). Os casacos saem do armário constantemente, mas meu armário já comporta a moda inverno europeu: cachecol, gorros, luvas… Saio de casa parecendo um pacotinho. E ao chegar nos lugares pareço uma pessoa desesperada me despindo por causa da calefação exagerada de alguns ambientes.

O frio pode ser até relativo, mas o desejo agora é que o sol se faça mais constante, e que aos poucos a temperatura volte a subir. Em breve recebemos a primavera e com ela algumas festividades e programas ao ar livre (Acompanhe a coluna e saiba mais sobre essas atrações!).

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Bárbara Bayer

Relações públicas, viajante de carteirinha e locatária de uma kitnet na Alemanha. Joga amadoramente handball e, quando ninguém está olhando, faz dancinhas bizarras, seja para comemorar, para espantar o frio ou só porque lembrou de uma música que adora. Escreve a coluna Alltag, sobre sua vida em Karlsruhe, na Alemanha.