Navegar é preciso, mulheres, temer não é preciso…

0
A coluna “Eu vou sozinha” está aqui para quebrar o tabu e inspirar as mulheres a saírem por esse mundo sozinhas – seja para desbravar, para se conhecer, para sair da zona de conforto ou só porque não conseguiu uma companhia para as férias. Vamos entrar na corrente por um mundo mais aberto e respeitador em que todas nós possamos transitar sem esquentar a cabeça! Essa semana, entre nessa reflexão junto com a Yumi, que quer mais é ver as mulheres voando mundo afora:

Viajar sempre foi tema do imaginário do ser humano, desde os antigos navegadores do velho mundo a procura das Índias, às viagens construídas, quando pequenos, a partir das histórias infantis que nos contam.

Mas, em algum ponto da nossa história, nos falaram que éramos sexo frágil, e que, por isso, não poderíamos fazer uma par de coisas que homens fazem sozinhos – e se fizéssemos, teríamos que temer um mundo extremamente perigoso para nós.

Mulherada, isso é a mais pura mentira!

Por mais que a sua tia ache que você vai para o Marrocos e será trocada por camelos ou que a sua amiga conheça uma prima de uma amiga que viajou e que foi roubada e perdeu tudo: calma galera, é só uma mulher viajando.

Afinal, aqui ou na Conchinchina vai ser perigoso fazer uma cirurgia, atravessar a rua sem olhar, beber e dirigir, ficar suscetível a roubos ou furtos. Corremos riscos todos os dias, independente da sua posição no mapa mundi, e nem por isso deixamos de sair, de viver.

É claro que existem algumas precauções e cautelas, procedimentos normais de uma viagem segura – e que vale para homens e mulheres – como não andar sozinho na rua em zonas consideradas violentas, ficar de olho na bolsa, não aceitar carona de qualquer um. Cuidados que você tem na sua própria cidade e que vale para qualquer lugar do mundo.

O aspecto que as mulheres têm que levar em consideração quando escolhem um lugar para viajar são os culturais. Estes influenciam, muitas vezes, só as mulheres. Em países mulçumanos, por exemplo, que exigem certo tipo de conduta, isso pode ser uma ameaça a nossa segurança.

Por isso a informação é tão importante para viagens a sós. Quanto mais você descobrir sobre o seu destino, menos medo você vai sentir e menos riscos você vai correr. Se joga na World Wide Web, ela será a sua melhor amiga.

Mulheres do mundo, uni-vos e se deixem voar!

E você, o que acha? Já ta na hora de quebrar esse tabu de viajar sozinha, né? Conta pra gente a sua experiência!

O que achou? Conta aqui pra gente :)

Compartilhe:

Sobre o autor

Yumi Novais

Yumi Novais é jornalista, capricorniana e filha d’Oxum. Paulistana do fim dos anos 80, considera-se baiana do começo dos anos 70: da máquina de escrever, do poeta Cartola, das vaias à repressão, e do amor líquido, livre e sintético.